.

Da fêmea que sou, ah, eu sei...

17 de abril de 2011

Céu Gris

 

(para o velho ogro)

Céu de repente
ficou gris
arrepio na nuca
sensação abrupta
ser aprendiz

Céu de repente
ficou gris
coração sem compasso
tão abstrato
partiu-se num triz

Céu de repente
ficou gris
adeus sem propósito
cedo demais
fez o universo torto.

Dhênova

Pelotas, 16/04/2011

3 comentários:

  1. Hum...
    Nossa
    meu céu de repente ficou
    Luz
    Poesia de fuga
    Cores mórbidas nunca suja
    Reluz
    Nada mais torto
    meu mundo felicidade
    Traduz...


    Te amo, poeta amiga.
    Seguindo...
    e dessa vez deixando pegadas.
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Ai Meu Deus teu nome não é em vão dessa vez... Que belo! senti você escrevendo isso... Muitooo bom Dhe! Boa noite!

    ResponderExcluir
  3. Só tenho a agradecer, ainda que tarde, meus amigos, pela leitura... o 'céu ficou gris' quando o velho ogro se foi... e a vida continua! Fazer o quê?

    Grata!

    beijos

    ResponderExcluir

Quem me acompanha...

Pesquisar este blog